quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

uma reflexão sobre apaixonar-se

Sempre reclamei/falei/argumentei sobre o amor e paixão.

Falo, porque sempre me vi distante disso tudo. Sempre acreditei que isso de 'amor' é produção da nossa imaginação, das nossas expectativas. E eu continuo acreditando nisso...

Mas me peguei pensando um pouco diferente.

As pessoas se apaixonam pelo que elas olham, ou pelo o que elas ouvem.
"ahhh.. ele é tão lindo..."
"ahhh.. ela é tão inteligente.. "
"como ela é gostosa.."
"você viu o corpo dele?"

Frases assim vão e vem nesse mundo da paixonite.

Mas, eu me vi pensando..
"adoro a forma como ele sorri quando está sem jeito"
"fico toda boba quando ele diz o meu nome"
"quando ele olhar pra mim.. meu mundo fica colorido"
"ele passou por mim e senti meu corpo todo aquecer"

Claro que todas as outras pessoas pensam isso também, mas, antes elas pensam em como é bonito, gostoso, inteligente ou rico.. E para mim, isso tudo é fácil de ver/sentir..

E tudo que começa fácil, tende à terminar fácil.

Não que eu peça por dificuldades e/ou complexidades. Mas também não quero facilidades!
Busco sutilezas! Quero viver, morar e amar nos detalhes

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

existe o sim e o não.

quando em mim será claridade?
o que em mim saberá decifrar 
o desafio em você?

quando em você serei eu?
o que em você assumirá
o querer de mim?

quando em nós serei eu e vc?
quem na vida aceitará eu em você
e permitirá você vivo em mim?

quando no amor existirá tudo?
o que de mim preenche 
o vazio de você?
o que de você completa o 
espaço de mim?

quem disse q nao?
quem disse q sim?
alguem perguntou?

terça-feira, 7 de julho de 2015

De ti..

Eu cabia..
No dia, na vida, na rima..
Eu cabia em mim..
Eu resolvia..

Eu excedi..
Sobrou o q escorria..
Perdi partes de mim
Eu faltaria..

Eu preenchia..
O vazio que existia...
Que insistia em residir
Eu precisaria..

De ti!

terça-feira, 14 de abril de 2015

Nem sei

Ela tentou conter a força da dor! Mas foi sufocada por esse grito que nao sai da garganta!
Ela queria tanto ter pra quem pedir ajuda! Ela queria ser capaz de chorar!  Ela queria ter ímpeto de cortar esse tormento!

Mas não!  Sao todos os anos de sua vida lutando com músculos contra uma vontade!

Ela precisa chorar!! Ela precisa chorar! Ela precisa chorar! 

Ela precisa se encontrar nesse mundo! Saber do q é feita! O q suporta! O que carrega!

Mas ela so sabe molhar os olhos.. E nao inundá-los

Keep going

O dia dela passa com a tranquilidade dos esquecidos! Abençoado seja o dom de esquecer, ou ao menos fingir que esquece!

Ela anda e sorri como se não precisasse provar nada a ninguém!  Ela vai e continua indo!

Ela merece um abraço só pela força que ela finge ter!

Sobre o day after

Ela acordou!  E tudo o que ela quer é terminar o dia sem ser dilacerada por suas próprias ilusões! 
Vai! Vai e pega o trem!
Não olhe pro lado, nao veja e nao seja vista!
Complete seu dia! Faça suas coisas! Respire!

Está sentindo o vazio??  Deixe ele te completar!

segunda-feira, 13 de abril de 2015

De zero a sem/cem

Então ela sentiu um baque gelado atravessando sua alma entorpe de quentes intenções..  Era tudo o q ela nao queria! Mas ela sabia q isso ia acontecer, afinal, que louco, um dia, a ela ia querer?!
De onde ela achou q podia ser desejada? Q sua boca poderia ser beijada? Q sua pele poderia ser tocada?
Ela, q flutuava entre nuvens, hoje se afoga!
Claro, jamais poderia competir com quem quer que fosse... Seu coração nao acredita em si e sua alma não a permite sentir!

Ela sentiu seu coração ser esmagado pela realidade e ela nao chorou! Seu peito calejou! Sua garganta secou! E suas intenções, enterrou!

Mundo, ela te pede que a deixe viver da solidão!  Que a permita aceitar o isolamento e se fortalecer nas ausências!  Não coloque, Mundo, em seu caminho falsos preenchimentos e muito menos vontades impraticaveis!

Ela sempre soube que seria assim, entao por favor, não a faça se iludir!

segunda-feira, 2 de março de 2015

Uma crônica lógica que mente

Ela dizia coisas incríveis. Sabia que sol faz a sua lua ser inteira. Notava em que marte deixava sua vênus ciumenta. De tudo ela compreendia. Bastava bater. Bater o olho e ver. Sim, ela já sabia o que te dizer. Todos se encantavam. Todos admiravam. Mas no espelho ela não sabia se ver.

Claro! Como poderia ser. De frente pro espelho, ela era tudo o que ela não conseguia ver. Olhava o rosto, pele, erupções, pêlos e condenações. Olhava o cabelo, seco, indefinido e sem determinação. Olhava o corpo, formas, desformas, sobras e imperfeições.

Ela fecha os olhos, e caminha por dentro. Medos, inseguranças, incertezas e paralizações.

O mundo de tão grande, não a encontrava. E a vida de tão pequena, não se encaixava.

Onde poderia ir? De onde poderia vir?

Nada lhe respondia. Outra dela não aparecia.


Mas ela dizia coisas incríveis. Sabia que aries não podia com escorpião. Que aquela menina não saberia cuidar do garotão. Que por ser geminiano ele não conseguiria seguir um padrão. E que na verdade, a verdade ela não sabia não.